Aproveitamento dos alimentos

Você sabia que muitas folhas e ramos dos alimentos cortados e jogados fora na hora da compra ou do preparo são mais nutritivos do que, por exemplo, a raiz que levamos para casa ou que consumimos numa refeição? Isso mesmo.

Veja como tirar o melhor proveito destas verduras:
Ao chegar em casa, muitas vezes, a primeira coisa que fazemos é cortar e jogar no lixo as folhas ou ramos, por exemplo, da beterraba, da cenoura, do rabanete ou do nabo, sem nos darmos conta de que, na maioria das vezes, essas partes das verduras são mais nutritivas do que a parte mais comumente consumida.

Com exceção da cenoura, que é um alimento rico em caroteno, tanto a beterraba quanto o rabanete e o nabo, do ponto de vista nutricional, são muito mais pobres do que as suas respectivas folhas. Todas elas, inclusive as da cenoura, são ricas em caroteno, ferro e fibras alimentares, nutrientes que não podem faltar na nossa alimentação. As fibras, encontradas nos vegetais e particularmente nas verduras folhosas, nas cascas das frutas, nas películas das leguminosas – como grão de bico, lentilha, feijões e cereais integrais – estão entre as principais responsáveis pelo volume do bolo fecal. A falta de fibras na dieta pode levar à prisão de ventre e constipação, entre outros.

Vamos então utilizar essas folhas saborosas em sopas, nas preparações de bolinhos, nos refogados e omeletes? Aliás, as folhas da cenoura e da beterraba podem ser consumidas cruas – cortadinhas em saladas, por exemplo.

A folha da couve-flor é outro exemplo de verdura que pode ser aproveitada plenamente. Ela é rica em vitamina C, fósforo e cálcio, além de fibras, podendo ser consumida crua ou refogada.

Dicas para não desperdiçar as partes dos alimentos, ditas não-convencionais:

 . talos de agrião, espinafre e couve podem ser utilizados em sopas, omeletes e no preparo de bolinhos e pastéis.
 . casca de abóbora: pode ser usada para enriquecer o arroz, por exemplo (é preciso ferver o alimento antes).
 . casca de laranja: no preparo de doces e em caldas (deixar as cascas de molho em água para tirar o sabor amargo).
 . água da beterraba: a agua contém mais vitaminas que a raiz, pois grande parte delas foi transferida do legume para o líquido de cozimento.
 . sementes de abóbora e girassol: lavar, levar ao forno para torrar e temperar com sal. Sirva como aperitivo.
 . casca de maracujá: a parte branca da fruta é rica em pectina (fibra solúvel), niacina (vit B3), ferro, cálcio e fósforo (é a parte utilizada para fazer a farinha de maracujá). Colocar em água fervente, tirando do fogo ao mesmo tempo; deixar uns 10 min para tirar o gosto amargo. Usar como na preparação do “pimentão recheado” ou usar, cortada em tiras, em saladas, ou em pratos com carne ensopada.
 . talo de couve: rico em cálcio e potássio, esse alimento pode se tornar um delicioso purê, creme etc.
 . folha de beterraba: muito rico em vitamina C, podendo ser consumido em saladas, de preferência ( a vit. C é muito termo-sensível – perde-se em temperaturas elevadas durante o cozimento, p.ex.)